InícioCalendárioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 HUMANOS: Caçadores

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Administrador
Administrador
Administrador
avatar

Mensagens : 270
Data de inscrição : 26/03/2010

MensagemAssunto: HUMANOS: Caçadores   Qui Jul 08, 2010 10:44 pm


Líder: Bárbara Elliot - Comandante Chefe dos Caçadores



Pelo seio frio e viperino sorrir,
Por teus abismos de perfídia encobrir,
Por este olhar de virtude simulada,
Pela hipocrisia de tua alma trancada;
Por ter de tua arte a perfeição,
Que por humano fez passar teu coração;
Por ter a dor alheia como fim,
E por tua irmandade com Caim,
Eu te invoco! E ordeno
Que tu mesmo sejas teu próprio Inferno!
-Lorde George Gordon Byron, Manfred

O mundo não é mais o mesmo, as criaturas das trevas que até então viviam no submundo escondidas, se revelaram. Agora todo mundo sabe que elas existem. Os caçadores sempre souberam.

No mundo dos monstros, até os predadores possuem predadores. Pessoas aparentemente comuns, mas que com o tempo adquiriram uma incrível capacidade de caçar e destruir. Por vezes indócis e incomuns, com métodos impensados e aniquilantes. Outras, estrategistas e habilidosos. Mesmo com métodos diversos, rostos e nomes que mudam através dos séculos o objetivo é o mesmo, a destruição do mal.

As pessoas reagem com a existência do mundo sobrenatural de diversas formas, medo, raiva ou até desejo. Mas são os caçadores que seguem a perigosa trilha da destruição. Os motivos de um caçador nem sempre é nobre e heróico. As vezes são seguidos por vingança, pelo simples desejo de conhecimento, ou até mesmo poder. Há caçadores que são guiados pelo medo transformado em raiva, o que os impulsiona em uma caçada implacável contra seus inimigos. Vingança, senso de dever, curiosidade, ódio, controle, poder, busca de aventura e insanidade geralmente são os motivos mais comuns. Todo caçador deve possuir um motivo.

Caçadores geralmente parecem ser loucos, obcecados por algo geralmente sem compreensão para os civis. Acreditam que suas ações serão reconhecidas por um futuro melhor, não esperam recompensas imediatas, o que os distinguem dos mercenários. Existem lendas que dizem que há muito tempo atrás existia um trato entre os mortais e vampiros. Coexistiam pacificamente na cidade de Cartago. Mas a ganância falou mais alto e os Strigois e Ekimmus destruíram a cidade, acabando, assim, com a harmonia.

A origem dos caçadores remonta desde as brumas da criação da civilização, sabe-se que onde existia um ser das trevas, existia alguém disposto a destruí-lo. Geralmente os caçadores vivem de forma isolada. Pequenas famílias unidas pela caça. A última grande união dos humanos contra os seres das trevas foi a Inquisição na Idade Média, a destruição foi estrondosa. Inocentes também viraram cinzas, e o ódio só fez crescer.

A Irmandade dos Dragões nasceu de um anjo. Azriel travava uma batalha sangrenta pelo mundo, sua missão era encontrar e aniquilar seres das trevas. Azriel ansiava por um exército de homens e passando por cima das regras celestiais deu seu sangue para três mortais, dando-lhes a visão e sabedoria. Os mortais passariam seus dons através de suas gerações e seriam predestinados durante séculos a caçar e destruir seres das trevas.

Os Dragões de Azriel dividem-se em três famílias: os ingleses Wentworth's, os italianos Bataglia's e os americanos Elliot's. Através dos séculos a linhagem foi diminuindo, restando poucos na guerra. Seus dons se restringiam a um senso aguçado de reconhecer o poder das sombras, e a possibilidade de ver o que os humanos normais não podiam, os seres que eram invisíveis para os civis.

Para se entrar na Irmandade dos Dragões deve-se passar por uma iniciação de sangue. O sangue de Azriel. Mas o processo dura aproximadamente um ano. Na mansão dos dragões tem todo um complexo de treinamento para que aqueles que entram, mesmo experientes de guerra, aprimorarem com as técnicas centenárias da irmandade. Não basta saber lutar e ter sede de morte, tem que ser fatal e conhecer intimamente os meios dos dragões de caçada.

Não basta ser bom, tem que ser o melhor. A irmandade dos Dragões segue uma linha hereditária desde os três dragões originais. Os descendentes das famílias Elliot, Wentworth e Bataglia. Para esses, o treinamento começa na infância e o sangue que corre em suas veias já é necessário para lhe assegurarem a vidência e a senso aguçado. Porventura alguns acabam se perdendo no mundo, e quando voltam, se submetem ao treinamento, assim como qualquer novato, dispensado apenas o ritual do sangue de Azriel. Não há discriminação na irmandade com aqueles sem o sangue dos três anciões, mas os líderes só são escolhidos entre eles.

Para a escolha do líder dos Dragões segue-se uma ordem desde os tempos dos três originais. O primeiro líder foi Salvatore Bataglia, e após ele, a filha de George Elliot, e em seguida o bisneto de Ewan Wentworth. Assim, sempre seguiu-se essa mesma ordem, após um Bataglia, sempre o Elliot mais velho e após ele, um Wentworth. A linha nunca foi quebrada. Um líder fica no máximo 20 anos no poder, após isso passa-se a liderança para o próximo da linha. O último líder foi Luca Bataglia, e após ele seria Walter Elliot, que pela linha sucessória já estava sendo preparado para ocupar a liderança. No entanto, um fatalidade ocorreu antes mesmo que Walter pudesse ocupar seu lugar. Em uma caçada, algo errado aconteceu e Walter acabou perdendo a vida. Em seu lugar sua filha mais velha, Bárbara Elliot acabou por ocupar a linha da próxima líder. Não dependeu da vontade dela e nem do conselho da irmandade, sempre foi respeitada a linha. Um ano depois da morte de seu pai e com o treinamento mais rápido que se pode ter, Bar assumiu a liderança dos Dragões.

O período de treinamento dos caçadores é extenso e cansativo, o recruta é submetido a situações extremas que buscam se igualar ao máximo com as situações reais. Por vezes são levados em missões reais sobre a supervisão dos treinadores. Buscam aperfeiçoar habilidades físicas, mentais e especialmente táticas. O ritual de sangue, que acontece logo depois, é a parte mais importante do treinamento. Nele, os recrutas são levados de olhos vendados para uma sala subterrânea da mansão, onde recebem das mãos do comandante chefe dos dragões uma gota do sangue conservado de Azriel, o que é suficiente para fundir-se com seu próprio sangue. O recruta toma o sangue que é pingado em uma taça de vinho, após isso, o dom passado pelo mentor dos Dragões passa também aos caçadores, que ganham o dom de ver as criaturas invisíveis aos olhos dos civis e a sensibilidade de perceber a presença dos mesmos.

A Trama

A Irmandade dos Dragões possuem não só uma hierarquia de combate, como também uma ordem burocrática. Possui um conselho de três grandes caçadores. Um conselheiro nunca pode ser um líder, mesmo se for o próximo na linha sucessória. Charles Wentworth, Marcello Bataglia e Amélia Reinhardt. Lógico que os nomes Wentworth e Bataglia pesam, mas Amélia é uma mulher forte e decidida que conquistou seu direito de ser conselheira e participar das grandes decisões da Irmandade.

Um líder tem sempre autonomia para comandar, os conselheiros o auxiliam apenas na função de aconselhar. Amélia possui uma relação mais íntima com Bar. Dizem que foi a mãe que faltou às meninas na infância. Generosa, ajudou Walter Elliot a criar as filhas que hoje se tornaram peças fundamentais na equipe. Marcello vê a liderança da jovem de 25 anos com olhos cautelosos, mas sempre que pode auxilia Bárbara em suas decisões. Charles já é só receio. Crítico por natureza não consegue dar credibilidade absoluta nas decisões de Bar. Manipulador, as vezes consegue construir uma teia de argumentos de dar nó na cabeça de qualquer um.

Charles pauteia suas palavras no bem da Irmandade, por isso acredita que as ações de Bárbara são pautadas pela vingança, e a vingança pessoal pode colocar em risco todos os membros da equipe. Realmente Bar ficou muito abalada pela morte prematura do pai. Um bom caçador que por uma ação temerária foi em uma missão sozinho e sem avisar a ninguém. Até hoje é um mistério a morte de um dos melhores caçadores, dizem que ele buscava a paz e um acordo. Foi pego em uma possível armadilha e nunca foram descobertos seus algozes assassinos. Cheia de ódio pela morte de seu grande paradigma, Bárbara não acredita na paz.

Dizem que Charles Wentworth e Walter Elliot foram bons amigos na juventude. O futuro da Irmandade. Walter sempre brilhava, um dia seria líder e era o centro das atenções. Charles, um sedutor inveterado, conseguiu sua ascensão pelo seu charme, dedicação e sua lábia. Amélia era uma grande amiga de Walter e sempre tentou abrir seus olhos para a inveja que corroía Charles, não só da posição que Walter ocuparia um dia, mas também por Eva Villanueva, a bela e sorridente Eva, que conquistou sem querer o coração de dois homens. Walter sempre acreditou na amizade do amigo, até uma briga épica no dia de seu casamento. Charles seria seu padrinho e não suportando mais bancar o bonzinho, os dois colocaram por fim uma amizade de anos, que como se soube, nos últimos anos foi só do lado de Walter. Charles confessou que era apaixonado por Eva e nutria um grande ódio por Walter.

Uma Irmandade como a dos Dragões não há lugar para inimizade, é como os mosqueteiros, um por todos e todos por um. Charles e Walter foram afastados por anos, em missões diferentes, até Charles ser promovido para o conselho. Os dois mantinham uma convivência social, mas longe de ser amigável. Agora com a morte de Walter, Charles investe toda a sua acidez em Bar, a imagem e semelhança de seu pai.

Walter nunca gostou do relacionamento de Anne com Freddy. Os dois tinham a mesma idade e consequentemente treinaram juntos. Suas famílias eram como os Capuletos e Montecchios, mas Walter nunca conseguiu dizer “não” para sua pequena Anne. Ela literalmente conseguia tudo o que queria. O Sr. Elliot então aceitou o namoro da filha com o filho de Charles. Já Charles, era só atenção e bajulações para com Anne. Talvez fosse porque todos viam Eva em Anne, e com certeza até ele. Mas a jovem Elliot sempre foi cautelosa com a postura de Charles. Duro com o filho e atencioso com ela. Sempre que podia evitava o futuro sogro e sentia algo estranho sempre que o mesmo se aproximava.

Freddy e Bar ainda possuem a animosidade de seus pais um com o outro, mesmo Anne sempre tentando mostrar para Bar que ela não precisa se preocupar com Freddy, diferente do que pensa do pai do garoto. Bar ainda procura pistas do assassinato de seu pai, e pela verdade, está disposta a adentrar até nas veredas escuras de Azeroth.

Os Dragões sempre foram caçadores implacáveis, mas que sabiam escolher suas caças. Hoje, em uma cidade de escuridão, onde as sombras encontram brejas para fugirem de cantos sórdidos, os humanos estão sendo subjugados e somente os Dragões se sentem a vontade em Azeroth.

Você jogador que deseja ingressar na Irmandade dos Dragões pode escolher três formas de ingresso:

1ª – Através dos Cannons disponibilizados – Anne Elliot (Brigada Azul) e Freddy Wentworth (Brigada Vermelha)
2º – Ser um descendente desgarrado das famílias Wentworth e Bataglia. Sendo que a família Elliot, até então, as duas últimas representantes são Bar e Anne. Para isso deve-se realizar um histórico explicando como você se perdeu e porque decidiu voltar. Lembrando que seu nível na Irmandade será o inicial e deve-se passar também pelo treinamento.
3º – Ser um civil que passou por alguma situação que a colocou ciente de Azeroth (pode ser uma tragédia que o levou a procurar vingança) e deseja ingressar na luta contra os seres das trevas. Nessa condição deve-se fazer um histórico de alguém que já procurou a Irmandade e foi aceito para começar o treinamento. Lembrando que o treinamento dura um ano, todos vão começar após o treinamento, no nível inicial. Pode-se também, a desejo do jogador, desenvolver um personagem ainda em treinamento, que poderá ter a idade mais juvenil.

Linha de Comando:
Líder – Comandante-Chefe (60)
Nível 4 – Brigada Prata– 1º General como comandante (55)
Nível 3 – Brigada Vermelha – 1º Coronel como comandante (50)
Nível 2 – Brigada Azul – Também não há hierarquia, sendo todos subjugados aos níveis superiores (45)
Nível 1 – Brigada Verde – Fase inicial – para todos (menos os Cannons). Não há hierarquia entre os pertencentes nesse nível, sendo todos submetidos às ordens dos níveis superiores. (40 pontos)
Recruta – Está na fase de treinamento. Todos que acabaram de entrar e ainda não foram avaliados, ou que desejam começar na fase de treinamento. (distribui pontos conforme a lista de idades)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://azeroth.forumeiro.org
 
HUMANOS: Caçadores
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Qualidades e Defeitos
» O MUNDO DAS TREVAS (Aventura para Humanos)
» Grupo de Caçadores de Recompensa
» [PODERES] - Caçadores
» Associação de Caçadores, Vampire Hunter e Missões.

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
RPG Azeroth :: RPG - Azeroth :: Raças-
Ir para: